Ano Novo: tempo de novas dinâmicas nas Comunidades Portuguesas

A caminharmos a passos largos para o final do ano de 2022, período simbólico e propício à renovação e esperança num futuro melhor, que todos desejamos que passe em 2023 pelo desfecho da Guerra na Ucrânia, e pela regularização do surto inflacionista, da subida das taxas de juro e da carência de matérias-primas.

É também uma etapa oportuna para perspetivar as novas dinâmicas de atividades que vão perpassar as Comunidades Portuguesas espalhadas pelos quatro cantos do mundo ao longo do próximo ano.

Desde logo, destacam-se duas pelo seu simbolismo e peso institucional. Mormente, o 70.º aniversário da emigração portuguesa para o Canadá, que se assinala a 13 de maio, e o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, que em 2023 terá a África do Sul como palco principal das comemorações.

Uma das mais relevantes comunidades lusas na América do Norte, que se destaca pela dinâmica da sua atividade associativa, económica e sociopolítica, a comunidade portuguesa no Canadá assinala a 13 de maio de 2023, o septuagésimo aniversário da chegada a Halifax, província de Nova Escócia, dos primeiros emigrantes portugueses.

Se entre 1953 e 1973, terão entrado no Canadá mais de 90.000 portugueses, na sua maioria originários dos Açores, estima-se que atualmente vivam no segundo maior país do mundo em área total, mais de meio milhão de luso-canadianos, sobretudo concentrados em Ontário, Quebeque e Colúmbia Britânica, representando cerca de 2% do total da população canadiana que constitui um hino ao multiculturalismo.

É a partir deste legado histórico, que um pouco por todas as comunidades portuguesas disseminadas pelo imenso território canadiano, será seguramente celebrado para o próximo ano, com profundo simbolismo e sentimento de pertença, exposto em inúmeras atividades e eventos, o 70.º aniversário da emigração portuguesa para o Canadá.

Um aniversário que fortalecerá, concomitantemente, os laços dos emigrantes luso-canadianos à língua e cultura materna, mas também à pátria de acolhimento. Algo, que seguramente acontecerá no próximo dia 10 de junho no seio da comunidade portuguesa na África do Sul.

Estima-se que atualmente a comunidade portuguesa e de lusodescendentes na África do Sul, ronde o meio milhão de pessoas, na sua maioria com raízes madeirenses e estabelecida em Joanesburgo, a maior cidade sul-africana.

O primeiro grande momento da emigração lusa, particularmente madeirense, para a África do Sul iniciou-se durante a década de 1940, durante a II Guerra Mundial, devido ao acentuar de privações geradas pelo conflito militar.

Foi neste contexto, que os pioneiros madeirenses se instalaram no alvorecer da segunda metade do séc. XX na África do Sul, passando a dedicarem-se à agricultura, em grandes quintas, e ao comércio, abrindo, mais tarde, lojas para venda dos produtos cultivados e supermercados. Sendo que, o segundo grande momento de emigração lusa para a África do Sul, ocorreu no início do quarto quartel do séc. XX, com a independência das antigas colónias portuguesas de Angola e Moçambique, período em que a África do Sul se tornou o principal destino dos portugueses em África.

As comemorações oficiais do Dia de Portugal em 2023 na África do Sul, serão assim certamente um momento simbólico de valorização da língua e cultura lusa no continente africano, elos antigos, atuais e vindouros da ligação umbilical portuguesa a África.

Que as novas dinâmicas que se aproximam a passos largos das comunidades portuguesas no Canadá e na África do Sul, assim como na dispersa geografia da diáspora lusa, nos influa a todos um Próspero Ano Novo.

geral@danielbastos.pt
  Partilhar este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Opinião  
  Partilhar este artigo