A arte do cake design nas mãos de Raquel Barros

Raquel Barros. Valenciana de 33 anos de idade, licenciada em Engenharia do Ambiente e pós-graduada em Gestão da Qualidade é técnica de ambiente de profissão. Ao mesmo tempo tem um projeto O Teu Cake ao que dedica grande parte do seu dia-a-dia. Apaixonada pela arte da confeção de bolos mas mais ainda pela sua decoração, Raquel Barros faz as delícias dos mais gulosos mas sobretudo das crianças.

Pode passar um mínimo de três horas a criar o bolo ideal como dedicar uma noite inteira de trabalho para conseguir atingir a perfeição. Os pedidos de encomenda de cake design chegam a ser tantos, que a artista conta que “ já teve de recusar alguns por falta de tempo”, mas sobretudo para não descurar da sua técnica de trabalho e profissionalismo. Perfecionista e adepta de novos desafios, a maior satisfação para Raquel é perceber a alegria e satisfação no rosto do seu cliente quando este vê o resultado final do seu bolo. O Minho Digital foi ao encontro da valenciana para a dar a conhecer um pouco melhor.  

Minho DigitalRaquel, antes de mais explique-nos em que consiste o cake design.

PUB

Raquel Barros – Cake design ou decoração de bolos, é arte culinária de decorar, utilizando pasta de açúcar e outros elementos decorativos comestíveis, com o propósito de tornar os bolos visualmente mais interessantes. Os bolos são decorados para celebrações de festas especiais, como aniversários, casamentos, batizados, comunhões. No entanto, cada vez mais são utilizados para os mais diversos eventos sociais, como inaugurações e aniversário de lojas e empresas, banquetes, festas de amigos, despedidas de solteiros, entre outros.

MD – Como percebeu que tinha “mão” para os bolos? Que idade tinha quando começou a testar os bolos decorativos?

GOSTA DESTE CONTEÚDO?

RB – Desde sempre fizemos bolos em casa e o nosso objetivo sempre foi fazer bolos saborosos, não dando tanta importância ao aspeto. Mas na hora de servir, eu procurava sempre embelezar os bolos, dando-lhes um toque especial, ainda eu não sabia sequer o que era o cake design e conhecia as suas técnicas.

Descobri o cake design há aproximadamente 2 anos, o culpado/razão o meu filhote. Para o seu primeiro aniversário fiz o seu boneco preferido o Mickey Mouse. Os amigos adoraram e desafiaram-me para fazer para os seu filhotes..nunca mais parei!

PUB

MD – A Raquel frequentou formações ou workshops na área do cake design ou é auto-didata?

RB – No início fui auto-didata. Fiz muitos bolos pesquisando na Internet e nos livros as técnicas aplicadas ao cake design. Mas posteriormente senti necessidade de aprofundar conhecimentos e recorri a workshops.

MD – Que tipo de clientes mais a procuram?

PUB

RB – Os meus clientes foram desde o início, principalmente família e amigos. Sem dúvida foram eles que acreditaram em mim e me desafiaram. Aproveito desde já para agradecer a todos os acreditaram em mim. Depois foi o passa palavra, que a meu ver, é a melhor publicidade. Atualmente, os principais clientes são pais que procuram surpreender os seus pequenotes com a magia dos meus bolos.

Tenho também um grupo de clientes muitos especiais, são intolerantes ao glúten, lactose ou ovo. Tendo familiares e amigos com estas caraterísticas, procurei soluções! Para mim, todos os meninos tem direito a um bolo mágico! Quando faço um bolo com estas características não posso fazer outros bolos, tudo tem que ser limpo e controlado, para que não haja qualquer contaminação.

MD – Tenho acompanhado alguns dos seus trabalhos. A Raquel publica fotografias dos seus bolos e, na sua grande maioria, são bolos de animação para crianças. São estes os pedidos de encomenda que mais recebe?

RB – Sim, sem dúvida. E são esses os que mais gozo me dão fazer. Apesar de ter a noção da responsabilidade que isso representa, pois os pais desejam sempre surpreender os seus filhos e por isso, não os posso desiludir. Também tenho os clientes que pretendem oferecer um bolo especial, personalizado e à imagem de alguém querido. Desta forma, estou a moldar expectativas, que tem que ter como resultado final, emoção, satisfação e felicidade .

PUB

MD – Que ingredientes são obrigatórios utilizar para as suas criações? Utiliza algo especial para dar forma aos bolos?

RB – Os principais ingredientes são amor e dedicação por aquilo que faço. Os restantes ingredientes são os comuns aos bolos caseiros e a pasta de açúcar. Desde inicio recusei trabalhar com preparados para bolos, são mais fáceis de trabalhar e mais rápidos mas na minha opinião não tem o sabor de um bolo caseiro. Para mim os bolos para além de bonitos e mágicos tem que ser deliciosos, nem que para isso tenha de demorar mais tempo na sua confeção.

MD – É necessário saber algo de desenho para criar os seus bolos ou a Raquel recorre a cópias?

RB – Não é necessário saber de desenho, mas é importante ter aptidão para a modelagem e para as artes manuais. Passo muitas horas a pesquisar e a estudar a melhor forma de executar o projeto que me é solicitado. Procuro sempre ter especial atenção aos pormenores.

MD – Em média, quanto tempo é necessário despender para fazer um dos seus bolos?

RB – Depende muito da complexidade do projeto. Pode ir de 3 horas a uma noite inteira de trabalho ou mesmo um dia. Já passei noites em claro, para conseguir elaborar aquilo que idealizei. Caso não fique como idealizei, volto a fazer de novo.

MD – De uma forma geral, quantas encomendas recebe por semana? Consegue responder a todos os pedidos?

RB – Depende muito das épocas do ano. Por isso é importante, o quanto antes, a reserva antecipada da data, pois há períodos em que tenho de recusar pedidos, de forma a manter a qualidade e não desiludir nenhum cliente.

MD – Alguma vez teve de recusar uma encomenda por ser um pedido extravagante?

RB – Por ser extravagante não, até porque gosto de desafios. Mas já recusei trabalhos por falta de tempo para dedicar a um determinado projeto.

MD –  Qual é a sua maior satisfação no momento que apresenta o bolo ao seu cliente?

RB – É perceber que se criou algo que foi ao encontro das expectativas do cliente. Contudo, não somos todos iguais e às vezes é difícil perceber se o cliente ficou realmente satisfeito com o resultado final, nem todos se expressam da mesma maneira. Mas quando estão presentes crianças é mais fácil ver a magia no seu olhar e essa é a melhor recompensa! Por outro lado, procuro sempre que possível, receber o feedback do cliente, penso que é essencial crescer conjuntamente com aqueles que acreditaram no meu trabalho.

MD – No mínimo, um bolo decorativo pode chegar a que valores?

RB – Mais importante que falar de  valores, é falar na minha forma de trabalhar. Eu pessoalmente não prático preço ao kilo mas sim preço por projeto, tendo em conta o número de pessoas e o trabalho que dará a concretização do mesmo. Penso que é mais justo para o cliente e para mim. É também uma forma de diferenciar bolos mais trabalhosos  dos restantes.

MD – Anseia tornar o cake design na sua profissão?

RB – Viver do cake design, sem dúvida é um sonho. Esta arte é por vezes menosprezada , pois há projetos que necessitam de muitas horas de trabalho, para além de ingredientes que são dispendiosos para que haja qualidade no trabalho realizado. E isso encarece os bolos decorados. Já para não falar do tempo roubado à família, sem o apoio da família o projeto “ O teu Cake” não seria possível.

MD – Já que nos aproximamos do novo ano, que desejos tem a Raquel para 2016?

RB –Desejos muito Doces… Desejos de continuar a criar magia no mundo dos pequenos! Desejos de muita Saúde, Paz e Amor!

 

PUB
  Partilhar este artigo
Nuvem do Minho
geral@minhodigital.pt
  Partilhar este artigo
PUB
PUB

Junte-se a nós todas as semanas