Associação Nacional de Assembleias Municipais associa-se à luta contra o Cancro porque “à partida vale (quase) tudo”

“À partida vale (quase) tudo” é o mote da mais recente campanha de sensibilização, realizada junto dos decisores políticos, promovida pela Liga Portuguesa Contra o Cancro – Núcleo Regional do Norte (LPCC-NRN), à qual a Associação Nacional de Assembleias Municipais (ANAM) se associa, reforçando a importância das Assembleias Municipais da região Norte apoiarem esta iniciativa, nomeadamente através da proximidade com o cidadão, que têm sido amplamente replicadas enquanto boas práticas.

“Fruto daquele que tem sido o trabalho em torno da valorização e dignificação das Assembleias Municipais, muitas são as iniciativas que, promovidas a nível local por todo o país, têm colocado ênfase o importante papel que as Assembleias Municipais têm vindo a alcançar enquanto agentes de formação cívica. A área da promoção da saúde é um dos temas que tem sido amplamente discutido, seja através de debates temáticos, seja através da aprovação de medidas a implementar pelo município”, defende Albino Almeida, Presidente da ANAM.

Atendendo que compete a cada uma das Assembleias Municipais promover uma maior participação da sociedade civil nos debates temáticos, bem como um maior envolvimento de todos os Grupos Municipais e dos Deputados, a ANAM considera que este é um tema que, pelo impato social e económico que acarreta, deverá fazer parte da agenda de qualquer município, em especial daqueles órgãos de poder local que possuem maior proximidade com o cidadão.

A campanha está a ser implementada nos concelhos da área de influência do Núcleo Regional do Norte, presidido por Vitor Veloso, médico de referência nacional, de há muitos anos empenhado na luta contra o cancro.

A doença oncológica é uma das principais causas de morte em Portugal e no mundo. Dos dados até agora apurados, em 2020 registam-se 28.393 óbitos no nosso país.

É objectivo da LPCC-NRN reduzir a incidência dos cancros potencialmente evitáveis. Isso é possível se forem cumpridos os quatro pilares que estão definidos na Estratégia Nacional de Luta contra o cancro até 2030 (Prevenção, Deteção Precoce, Diagnóstico e Tratamento e Sobreviventes).

A ANAM apoia esta iniciativa e junta a sua voz à LPCC – NRN para o cumprimento da Estratégia Nacional de Luta contra o cancro até 2030.

  Partilhar este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nuvem do Minho
press@maniadigital.pt
  Partilhar este artigo