Bicadas do Meu Aparo: Quem disse?

 

 

Escritor d’ Aldeia

 

Quando a flexa inimiga te atingir, não pares para pensar de onde veio, quem foi que a arremessou, porque motivo te atingiu. Enquanto isso o veneno está agindo no teu corpo, envenenando as tuas células. Sê rápido… retira a flexa.

GOSTA DESTE CONTEÚDO?

Um leitor que não saiba que os livros nos mudam a vida não é um bom leitor. Um leitor cuja vida não tenha sido mudada por um livro não sabe ler. Porque os livros mudam o mundo mudando a percepção que o leitor tem do mundo;

Falar de lutas de classe é uma espécie de tabu. O discurso neste momento pós-marxista é o de que todos somos iguais, de que não há classes. É uma mentira e há muita violência nas diferenças de classes;

A beleza é um factor essencial da construção humana (…). Sem a beleza ficamos todos mais pobres e empobrecemos o pensamento. Nesse aspecto gosto muito do meu passado e acho-o bonito;

Envelhecer tem vantagens e desvantagens: deixas de ver as letras de perto, mas passas a ver os idiotas de longe;

A amizade é como o vinho, inicia-se com uma boa safra e aperfeiçoa-se com o tempo. Tem a cor do rubi e o sabor da perfeição. Aberto o vinho, temos de identificar os aromas da sinceridade e o brilho da lealdade;

Quem passou por certos acontecimentos da vida e não viveu, pode ser e saber muito mais, mas sabe menos do que eu. Porque a vida só se dá para quem se deu, para quem amou, para quem chorou, para quem sofreu;

Quanto mais eu vivo, mais profundamente me convenço de que o que faz a diferença entre um homem e outro é a energia, uma determinação invencível, uma decisão tomada e mantida até à vitória final;

A dificuldade da vida não é fazer esforço, mas fazê-lo constantemente. Querer com energia, continuamente, eis a condição indispensável ao êxito;

A pobreza que mata é a miséria, filha da injustiça, da exploração, da violência e da iníqua distribuição dos recursos. É a pobreza desesperada, sem futuro, porque é imposta pela cultura do descarte que não oferece perspectivas nem vias de saída;

PUB

A guerra é o lugar onde jovens que não se conhecem nem se odeiam e se matam entre si, por decisão de velhos que se conhecem, se odeiam, mas não se matam. E eu que o diga!

* O autor não segue o acordo ortográfico de 1990

  Partilhar este artigo

1 comentário

  1. ARTUR quem disse fui eu MARILZA, numa mini poesia que eu publiquei! Visitando o templo budista em SÃO PAULO eu estive com a monja COEN, e ela me disse essas palavras que assim que retornei para CAMPINAS, transformei em uma mini poesia ( atualmente chamada de poesia minimalista) e publiquei! Ela é muito sábia, e eu me encantei com essas palavras que me disse, porque ecoaram no meu interior como uma grande verdade a ser seguida. Grata por ter gostado desse compartilhamento ARTUR!
    BEIJOS
    BOM FINAL DE SEMANA
    26/08/2023

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *