Editorial

C A R T A Z E S
Picture of Joaquim Letria

Joaquim Letria

Partilhar

Joaquim Letria

Já devem ter reparado na proliferação de cartazes com senhoras e senhores que debruam as nossas ruas, estrada e avenidas. É um rosário de sorrisos com umas frases inocentes que nos dizem “fazer diferente, fazer melhor”, “pensar  mais, ver mais longe”, “coragem para mudar” e outras coisas do género que não nos dão nenhuma ideia nem despertam qualquer sentimento. Alguns destes cartazes nem nos dizem nada. Limitam-se a dar-nos  retratos daquelas senhoras e senhores de rasgados sorrisos.

Por causa destes cartazes, coloridos e bem dispostos, pensava eu que Portugal estava a atravessar um período económico  ainda melhor do que aquele de que o Governo nos anuncia, cheio de investimento e a disparar um desenvolvimento que há décadas não se fazia sentir, com  chineses, angolanos, franceses e brasileiros a disputarem entre si o privilégio de poderem investir em Portugal  e até, quem sabe, ganhar  um “Visto Gold”.

Esta percepção errada  explica-se facilmente. É que estes cartazes com os sorrisos e as frases doces e inocentes são iguais aos do “Century 21”, “Royal Smile”, ”Era” e “Remax”,as  grandes imobiliárias do retalho que vendem andares, vivendas, lotes, quintinhas, armazéns, hostels, montes  no campo e casas na praia. Uma senhora e um senhor por cartaz,  cada um com um sorriso para todos  nós, A boa disposição e a simpatia por metro quadrado.

A verdade é que a grande maioria destes cartazes, que proliferam sem mensagem ou com frases inocentes, é para pura propaganda política, da esquerda à direita, e servem para marcar as melhores posições no terreno para os futuros “outdoors” com que os políticos vão ensarilhar-nos ainda mais a paciência assim que disparar a campanha para as eleições autárquicas. Quem me revelou  isto  foi o Dr. Isaltino de Morais, num grande cartaz à entrada de Queluz de Baixo  no qual ele nos promete que” Oeiras vai ter os melhores alunos”. Então percebi tudo.

GOSTA DESTE CONTEÚDO?

Já uma tarde destas me tinha parecido ver a D. Assunção Cristas na Praça de Espanha a sorrir para mim e até tinha pensado nos coitados dos ex- lideres e actuais dirigentes do CDS, com o Dr. Paulo Portas a vender  renda de bilros em Juarez  e noutras violentas cidades do México e a D. Assunção Cristas a sujeitar-se a vender  T3 e T4 ali a Sete Rios. Agora estou ciente! É a campanha  que se avizinha. Ainda bem! Cheguei a temer pelo futuro dos nossos queridos políticos.

 É, portanto, altura de marcar umas férias. Se não puder ser para calores longínquos, que seja  para o outro lado da fronteira. Em Águas Caldas já os nossos irmãos galegos nos abrigam com carinho e o galaico-duriense nos protege e afasta do barulho e pantominices  que vêm aí.

 

Mais
editoriais

Junte-se a nós todas as semanas