Castro Laboreiro voltará a ter caixa multibanco ainda este mês

Boletim informativo
A partir de Outubro, Castro Laboreiro disporá de uma caixa multibanco para levantamento de dinheiro, colmatando assim uma das lacunas daquela freguesia melgacense que, pela oferta turística e de consumo existente, vinha constrangendo os visitantes menos prevenidos.
A data prevista para a entrada em funcionamento deste equipamento é avançada por Paulo Azevedo, um dos empresários com unidades hoteleiras, de restauração e de animação turística no centro daquela freguesia de montanha, e impulsionador desta pretensão popular. “Como empresa privada que tem alguns negócios na zona de montanha, sentimos essa necessidade. Posso dizer que já tive clientes que foram a alguns sítios fazer refeições e que tiveram de vir ao parque de campismo [em Lamas de Mouro] pagar, para nós darmos o dinheiro a essas pessoas”.
É muito complicado, quando chega um turista, ter que alertar para duas situações: a rede muito limitada, e com algumas redes até pode esquecer, e a inexistência de multibanco”, lamenta Paulo Azevedo, que não considera justo encaminhar os turistas para o centro do concelho “só para levantar dinheiro”. “Temos uma oferta considerável, em termos de restauração e actividades. Só naquela zona existem três empresas de animação e quando temos dois hotéis e três ou quatro restaurantes, já há uma oferta bastante grande. Não haver um multibanco nas imediações era uma falha”.
Esta questão deveria ter preocupado outras entidades mas nós, como quaisquer outros privados, achamos que tínhamos condições para tentar junto dos bancos, para que colocassem um multibanco”, observa Paulo Azevedo. A proposta lançada aos bancos da praça melgacense para colocação de uma caixa num espaço libertado para o efeito colheu parecer positivo da Caixa de Crédito Agrícola, após análises ao espaço e condições de segurança. Agradecemos ao [banco] Crédito Agrícola, ao senhor José Augusto e ao Dr. Correia da Silva, que foram as duas pessoas que mais trabalharam nisto. Com o esforço deles e insistência nossa, chegamos a bom porto e estamos à espera que seja colocado”.
O processo implicou diversas análises ao espaço e alguns ajustes inerentes à segurança, mas após obras de reforço da segurança e adaptação, a caixa ATM poderá ser a “máquina” que faltava no quotidiano dos castrejos e daqueles que por ali passa esporadicamente. “Temos um contrato de três anos, portanto, nos próximos três anos pelo menos vamos assegurar que Castro Laboreiro tenha multibanco” conclui o empresário castrejo.

  Partilhar este artigo
Nuvem do Minho
jornalminhodigital@gmail.com
  Partilhar este artigo

Junte-se a nós todas as semanas