Degradação de serviços dos correios no concelho motiva queixa aos CTT

Paredes de Coura

A Assembleia Municipal de Paredes de Coura, reunida no salão nobre dos paços do concelho em 26 de Junho avançou com um pedido de esclarecimento aos CTT, questionando os sistemáticos atrasos na distribuição de correio, uma situação que se tem agravado em algumas freguesias. O assunto foi introduzido por António Esteves, que é simultaneamente presidente da União das Freguesias de Bico e de Cristelo e representante dos presidentes de Junta do concelho na Associação Nacional das Freguesias (ANAFRE). António Esteves denunciou a qualidade dos serviços prestados pela empresa que recentemente foi privatizada, afirmando que a entrega chega a ser feita, em alguns casos, apenas uma vez por semana. Todos os membros da Assembleia Municipal aceitaram subscrever um documento em que se alerta para a degradação do serviço postal em Paredes de Coura, fazendo-se pressão junto dos CTT no sentido de rever a periodicidade das entregas.

Outro assunto em destaque na sessão de Junho da Assembleia Municipal foi a discussão sobre a execução do orçamento de 2015 neste primeiro semestre do ano, tendo José Augusto Sousa interpelado o presidente de Câmara sobre o escasso número de obras realizadas nas freguesias afirmando compreender as queixas dos autarcas quando aqueles referem que “não tem nada feito”. O líder da bancada parlamentar do PSD considerou também que a Câmara está muito “atrasada no cumprimento das metas orçamentais para este ano”, na medida em que, mesmo contabilizando as obras que se iniciarão até Agosto, apenas estarão a ser executadas 30% das verbas inscritas no orçamento.

Vítor Paulo Pereira contrariou as declarações de José Augusto Caldas, enumerando a longa lista de obras que já decorrem na sede do concelho, como as beneficiações que estar a ser efectuadas nos espaços desportivos da vila (pavilhão e piscinas) e a concretização do programa urbanístico que prevê a regeneração do espaço público do centro da vila. O presidente de Câmara enumerou ainda as diversas obras que estão a ser desenvolvidas ou que brevemente se iniciarão um pouco por todas as freguesias, mesmo entendendo não fazer sentido o discurso que pretende colocar num prato da balança as obras na vila e no outro o investimento realizado nas freguesias. E exemplifica com o facto de que muitas das infra-estruturas situadas na vila serem também utilizadas pelas pessoas das freguesias. Vítor Paulo Pereira aproveitou ainda para sublinhar que o plano de concretização das obras está a ser feito “independentemente da cor política das Juntas”.

 

GOSTA DESTE CONTEÚDO?

 

  Partilhar este artigo
Nuvem do Minho
geral@minhodigital.pt
  Partilhar este artigo
📌 Mais do Coura

Junte-se a nós todas as semanas