DKC de Viana promove ação de formação em materiais compósitos

A formação contínua em diferentes áreas, vai fazendo parte da formação integral do canoísta na DKC de Viana.

Uma vez que a maioria das canoas e kayaks são construídas em materiais nobres, compósitos, tais como carbono, kevlar e epoxy, é necessária a sua manutenção e reparação.

Por esse facto, este clube vianense promoveu uma ação de formação com este tipo de materiais junto da sua comunidade.

O Centro de Canoagem acolheu assim a formação ministrada por técnico do clube a cerca de uma dezena de atletas, que estão assim capacitados para efectuar pequenas reparações em embarcações de competição e de lazer, aumentando a sua capacidade e conhecimentos na modalidade de canoagem.

A DKC de Viana está apetrechada de instrumentos e ferramentas de grande qualidade, facilitadores de formação em diferentes áreas, que foi adquirindo ao longo do tempo.

O conhecimento do formador da DKC de Viana advém da uma experiencia acumulada de cerca de 47 anos, da antiga e extinta DGD, onde havia a formação de auto construção, à época apenas em fibra de vidro.  Foi em unidades da extinta Delegação Geral de Desportos, a partir de 1976, que alguns dos grandes construtores nacionais de reputação mundial deram os seus primeiros passos na auto construção e fizeram hoje marcas e fábricas de projecção mundial.

As unidades da DGD foram criadas por decisão governamental para promover projetos de desporto para todos, uma vez que antes do 25 de abril a prática desportiva era residual, havendo necessidade, de, no caso da canoagem, de fabricar as suas próprias embarcações, para que crianças e jovens praticassem a modalidade.

Foi assim convidado à época o falecido e saudoso Pedro Cuesta, que fez os primeiros moldes em Portugal de kayaks (designados de olímpias, da qual este clube vianense possui um exemplar) e ensinou os monitores da DKC a fabricar os kayaks e a manusear a fibra de vidro.  O primeiro kayak de velocidade foi construído nessas instalações (Antiga Alfândega – junto ao Rio Lima em Viana do Castelo) e também consta do espólio de embarcações deste clube vianense.

Há cerca de três dezenas de anos, foi dada a ideia da formação de um museu da canoa e do kayak em Darque, ideia que não teve continuidade, embora a DKC de Viana possua muitas embarcações dignas de serem exibidas.

Foi como se sabe, a 15 kms de Viana no Rio Lima, em março de 1985 e 2008, em Geraz do Lima e Lanheses foram encontradas seis pirogas monóxilas.

Foram classificadas pelo governo como “tesouro nacional”.

Em https://www.museunacionalarqueologia.gov.pt/?p=7794;

https://dre.pt/dre/detalhe/anuncio/51-2020-130112117

https://shiplib.org/index.php/ship-models/watercraft/dugouts-in-portugal/

 

A ideia do museu da canoa é assim coisa antiga, que se espera seja construído algures…

Até lá, os jovens da DKC de Viana vão aprendendo um pouco de reparação e de história.

  Partilhar este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Nuvem do Minho
geral@minhodigital.pt
  Partilhar este artigo
📌 Mais de Viana