Editorial

Em Portugal há mais mulheres a darem sangue do que homens

Joaquim Letria

Joaquim Letria

Joaquim Letria

Joaquim Letria

letria@minhodigital.pt

Há uma década que o número de dadores e respectivas dádivas de sangue têm vindo a reduzir-se em Portugal.

Por isso, o Instituto Português do Sangue e da Transplantação solicita dádivas para retomar a actividade programada nos hospitais públicos, principalmente as cirurgias.

De 2011 até hoje verifica-se uma quebra de cerca de 12 mil dadores. Numa década houve menos 131616 dádivas e menos 104 970 dadores a participarem nas colheitas.

Entretanto, verificou-se agora, e pela primeira vez, uma proporção maior de dadores do sexo feminino. 50,42% dos dadores foram mulheres, enquanto o número de homens ficou pelos 49,58%.

Quanto aos grupos etários mantem-se a tendência de dadores nos grupos etários dos 18 aos 24 anos de idade e dos 45 aos 65 anos, com uma clara diminuição dos dadores do grupo etário dos 25 aos 44 anos.

Dar sangue é uma nobre actividade, essencial ao salvamento de vidas e auxílio à medicina pública e privada.

letria@minhodigital.pt

Partilhar

Partilhe este artigo

 Do autor...  Do mesmo autor...