Emparcelamento na Veiga de Areosa

No início era a Veiga. Área Agrícola, por outras palavras. Depois veio o  “emparcelamento” , uma espécie de loteamento agrícola. Qualquer dia cai o agrícola e fica só o loteamento!… E é a Câmara de Viana que, pelos vistos, vai passar um certificado de incompetência ao Ministério da Agricultura (MA).

Barros Lopes  (texto)

‘Lopesdareosa’

E os vistos são-nos na Comunicação Social. JN de sábado dia 2 de Maio e Rádio Geice do dia anterior. Na A AURORA DE LIMA da quinta-feira passada.

Assim do título do JN: Parcelas agrícolas dos anos 80 ( ou 90? ) vão ser actualizadas!”  Quando é que se desactualizaram?! Não serão hoje as mesmas que então formaram os novos lotes entregues aos proprietários pelo MA ?!!!

“900 hectares de terrenos agrícolas (…) vão ser alvo de um plano de  intervenção ajustado à realidade actual daquela zona rural!” Quando é que aquela zona se desajustou da realidade?! Não foi ( é! )  o emparcelamento a mesma realidade hoje como era então? O que foi que modificou?  A que ajustes conduz essa modificação?!!!

GOSTA DESTE CONTEÚDO?

“Este plano vai retomar o processo de emparcelamento (…)”. Vai retomar? Quando é que o MA o abandonou?

… que está desajustado nos seus objectivos e funções face à actualidade!  Então os objectivos e funções da veiga que foi emparcelada vão ser alterados? Por quê e para o quê?!!!

Do Rádio Geice ( ver em http://radiogeice.com/fm/2015/05/01/viana-avanca-pier-que-vai-atualizar-900-hectares-de-terrenos-emparcelados-na-decada-de-80/)

Este PIER … incluirá a elaboração de cartografia actualizada… – A cartografia elaborada pelo MA não serve?  Em que é que se desactualizou?!!! Os lotes, na origem, trapézios irregulares passaram (ou vão passar) a polígonos regulares? Os rectangulares vão passar a circunferenciais?

“Destacando a criação de trilhos e ecovias”. Onde?!!! Nos caminhos para os quais os proprietários foram obrigados a oferecer voluntariamente três por cento da área das suas leiras aquando do Projecto do Emparcelamento?! Para quê?!!!  Para que os desocupados se incomodem com os carros e tractores que lhes barram as caminhadas? Para aqueles que de pituitárias sensíveis se queixem destes gajos que andam para aqui a espalhar estrume com as cisternas?  Para facilitar a ladroagem que nem as couves galegas deixa em paz?!!!

Além do grande valor paisagístico daquela área ?  Onde? Naquela Veiga em Carreço, em que olhando para poente só se vê estruturas em plástico?!!! São estufas?!!!  E por que só ali e não em qualquer outro ponto da tal área de grande valor paisagístico?!!!

Onde?  Alí no Corgo? Com aquele moinho horrendo na arriba destoando completamento  da ETAR esta sim plenamente integrada na tal paisagem!

“…com a construção de algumas estruturas edificadas”.  Se já estão edificadas, o que é que se vai construir e para quê  construir?!!! Será que vão legalizar o matadouro dos frangos construído na Campo das Rãs, estrutura anacrónica na veiga do Gandaral, e que deveria ser pura e simplesmente demolida e devolvido o terreno ao seu estado natural de prado permanente?

“…promover a integração de novos usos agrícolas, novas tecnologias e novas produções”.  Extensão Rural em versão municipalista? O MA que se cuide que vai ser ultrapassado!

“Este trabalho vai  (…) melhorar a qualidade ambiental ao nível da paisagem da água do solo e do ar.”  Quererá isto dizer que vão devolver ao seu estado original o Rego de Fontes, a sua entrega ao mar e seus lavadouros destruídos aquando da abertura da marginal até ao Castelo Velho, marginal desaconselhada pela própria Lei?!!! Quererá isto dizer que, na construção da ecovia, não vai acontecer o mesmo na foz do Rio do Fincão?

Quererá isto dizer que vão reconstruir os Lavadouros e recuperar a Fonte da Maganhão, demarcação entre Areosa e Carreço referenciada no Tombo da Comenda desta freguesia? Que foi destruída pela “obra” do Emparcelamento? Cuja água foi sugada pelos Serviços?

Os ‘finalmentes‘:

Pretendendo, pelos vistos, a Câmara  substituir-se ao Ministério da Agricultura, quererá dizer que o Projecto do Emparcelamento, desde o trabalho inicial de restituição até á distribuição final dos lotes, regressará a Viana de onde nunca deveria ter saído?

Não seria esta a atitude  correcta de quem proclama a necessidade de descentralizar quando o terrenos se situam em Viana, as matrizes estão em Viana, a Conservatória está  em Viana e o grosso dos proprietários está em Viana?

Que necessidade há de nos dirigirmos a Lisboa para resolver qualquer problema relacionado com o Emparcelamento ou simplesmente consultar o projecto? Não há uma delegação do MA em Viana?!!!

Não haverá, na delegação do MA em Viana, técnicos com competência e competentes para tratar desses assuntos?!!!

Uma pergunta ‘sacana’ aos meus amigos de Areosa, Carreço e Afife!:

– Onde está a AFCAR? Isso existe?!!!

Areosa, Junho de 2015

geral@minhodigital.pt
  Partilhar este artigo

Também pode gostar