Editorial

Evolução dos tempos
Picture of Jorge VER de Melo

Jorge VER de Melo

Na lida diária não nos apercebemos da evolução dos tempos, como tudo muda e tão rapidamente.

Ainda há alguns milénios o homem descobriu uma sinalética registada na pedra que lhe serviu para comunicar acontecimentos importantes.

A escrita foi evoluindo até que aparece uma sequência de caracteres organizados em palavras e frases com sentido mais complexo e significados de mais fácil entendimento, mas de difícil aprendizagem.

Tudo era registado manualmente pelos escribas cujo trabalho foi interrompido por Johannes Gutemberg, 1400/1468. Nascido em Mogúncia no Sacro Império Romano-Germânico ele inventou uma máquina que deu origem à imprensa.

Foi dessa forma que a escrita se expandiu, divulgou o livro e assim mais facilmente a cultura, o conhecimento.

Isto a propósito da evolução dos tempos. Surgem então as publicações até aos nossos dias, de tal forma evoluídas que já nem precisam da máquina do Gutemberg mas sim de uma impressora doméstica para papel.

GOSTA DESTE CONTEÚDO?

Tudo se modificou até o homem preferir ler diretamente no monitor do computador ou no telemóvel.

Já não há objetos pesados, apenas um aparelhinho de pequenas dimensões que carrega o equivalente a milhões de toneladas de livros dentro do bolso de qualquer pessoa.

A leitura de um livro em papel passou a ser algo que dá um prazer superior semelhante à diferença entre o fast-food e a comidinha da nossa avó ou da nossa mãe.

É curioso que uma evolução na escrita implicou outra na imagem enriquecendo a comunicação humana e não só, com mais facilidade e rapidez do entendimento.

Mas o homem, para expandir e divulgar os seus conhecimentos, descobre a internet e chega mais rápido e facilmente com a escrita a todo o canto do mundo.

Na sequência disso surgem as redes sociais. Logo, uma panóplia de sinaléticas novas evitam demasiadas palavras e conseguem simultaneamente transmitir determinado tipo de sentimentos cuja explicação seria mais difícil sem elas.

Lembro novamente que estamos apenas a recordar a evolução dos nossos tempos de tal forma vertiginosa que começa a dificultar o seu acompanhamento.

Então, os entendidos resolveram especializar-se não em tudo que é novo, mas sim em pequenas áreas mais ou menos importantes para esta evolução dos tempos.

Enquanto que, não há muitos anos, o primeiro ato cultural do dia era desfolhar as novidades do jornal, hoje de manhã, liga-se o telemóvel e de imediato, ele encarrega-se de nos informar em extratos vespertinos, tudo que vai acontecendo desde a nossa região até aos confins do mundo.

E agora aqui vai a parte mais importante desta história.

Como muitos milhões de pessoas estão simultaneamente a ser informadas sobre os factos globais mais importantes, também muitos milhões de pessoas estão atentas ao comportamento dos Governantes.

Assim, é muito mais difícil a qualquer um, passar despercebido quando justifica os seus atos com a ajuda de permanentes mentiras.

Todos temos acesso democrático à verdade que é rapidamente divulgada pela comunicação social.

Será que mais tarde ou mais cedo, a justiça acontece e essas pessoas acabam por ser vítimas delas próprias?

Entretanto muitas desgraças aconteceram!…

Mais
editoriais

Também pode gostar

Junte-se a nós todas as semanas