Exposição divulga trabalhos arqueológicos na fortaleza de Valença

Peça arqueológica

O núcleo museológico de Valença apresenta uma mostra sobre os 10 anos de intervenções arqueológicas na fortaleza. Até dia 30 de Novembro, a exposição pretende dar a conhecer algumas das peças da época romana encontradas na fortaleza e, de igual modo, explicar como ocorreu a ocupação e evolução do local onde hoje se ergue a fortaleza.

Fragmentos de ânfora (recipiente usado para o transporte de vinho, azeite e preparado de peixe), material de construção tais como tégulas, pesos de tear, peças de jogos e pesos de rede de pesca são algumas das peças de cerâmica da época romana encontradas na Fortaleza de Valença e que estão presentes na exposição. Para além disso é ainda possível encontrar faianças e outros utensílios domésticos, moedas, projeteis de artilharia em metal de várias épocas, bem como a reprodução de uma necrópole (enterramento) identificada no adro da Igreja de Santa Maria dos Anjos.

Nas diversas salas que compõe o núcleo museológico de Valença estão dispostos onze painéis que revelam o desenvolvimento das intervenções de arqueológica na fortaleza provando a existência de uma ocupação romana e pré-romana na fortificação da cidade.  

As operações dos arqueólogos durante dez anos permitem descobrir onde se implantou a vila medieval da Contrasta, futura Valença, que mais tarde veio dar origem à fortaleza abaluartada setecentista e oitocentista.

Os trabalhos arqueológicos foram executados sob a direção científica do arqueólogo Luís Fontes com a co-responsabilidade da arqueóloga Belisa Pereira.

A exposição, que abre portas de segunda a sábado, da 10h às 17h, ininterruptamente, é uma iniciativa da autarquia de Valença em parceria com a Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho. 

GOSTA DESTE CONTEÚDO?

  Partilhar este artigo
Nuvem do Minho
geral@minhodigital.pt
  Partilhar este artigo

Junte-se a nós todas as semanas