Editorial

Famílias
Picture of Jorge VER de Melo

Jorge VER de Melo

Partilhar

Está instituído um dia para tudo e mais alguma coisa. Mas desta vez, pensamos ser bem oportuno o momento para divulgarmos como é tremendamente importante o dia 15 de maio, “Dia Internacional das Famílias”.

Devemos saber, a família é de todas as instituições a mais forte. Nem o Estado, nem a União Europeia, nem a Organização das Nações Unidas que foi quem instituiu esta data comemorativa há trinta anos, nenhuma delas consegue ter a importância dessa organização social capaz de equilibrar a vida do Ser Humano em todas as situações de crise ou não.

Pode faltar tudo, mas é importantíssimo o fortalecimento dos vínculos familiares onde encontramos sempre o primeiro ou o último recurso.

Vulgarmente, durante as refeições, os pais conversam com os restantes elementos sobre a maioria dos problemas que vão preocupando essa organização, “Assembleia Familiar.”

Alguns exemplos:

  • Em tempo de guerra na procura de soluções para a alimentação, abrigo, defesa, etc.;
  • Sobre a profissão;
  • O emprego, falando-se dos colegas de trabalho, vencimentos, justiça no trato, reconhecimento do esforço;
  • A economia familiar;
  • A formação de cada um, com os estudos dos mais novos e as formações e atualizações profissionais dos restantes;
  • O estado da saúde com as epidemias da época em cada ano ou com as doenças de cada um;
  • As necessidades do dia a dia;
  • Os amigos bons ou maus, mas necessários para o equilíbrio humano e social;
  • O comportamento em determinadas situações e não só, etc.

Tudo faz parte daquilo a que chamamos educação, mas essencialmente, é uma preparação para a vida com a ajuda das experiências de cada elemento.

GOSTA DESTE CONTEÚDO?

Os acontecimentos que passaram por aquela família vão-lhe fornecer resistência para tudo que acontecerá durante a existência da vida de cada um.

Claro que a evolução dos tempos vai alterando e atualizando o funcionamento, mas especialmente os contratempos é que levantam a maioria das preocupações.

Senão vejamos:

  1. As novas tecnologias carecem de atualizações, especialmente no âmbito profissional, mas sem o abuso habitual do tempo necessário para o convívio familiar;
  2. Mudanças climáticas com os prejuízos dos acidentes ou com a vantagem das férias sempre desejadas;
  3. Urbanização que implica organização da escolha do local onde residir;
  4. Imigração na busca de melhores vencimentos ou de valorização profissional, mas também no intercâmbio internacional;
  5. Declínio da natalidade em cada dia mais acentuado;
  6. Envelhecimento preocupante da população sem os apoios necessários;

Estas são as preocupações discutidas na Assembleia da Organização das Nações Unidas, ONU, como lembrança pertinente aos responsáveis dos Governos dos países de todo o mundo.

É essa a razão básica deste dia comemorativo.

Desta vez, não se trata do impulsionamento do comércio para a oferta de prendinhas a este ou aquele, imaginando que dessa forma podem fugir à responsabilidade diária do apoio humano e assistência obrigatória a quem nos merecem todo o respeito porque, em alguns casos, até nos deram a vida.

Será que se todos os Governos se preocupassem verdadeiramente com as famílias todos viveríamos melhor?

Às tantas!…

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mais
editoriais

Junte-se a nós todas as semanas