A Fruta desta Época

Batalha campal em frente ao Castelo

O regresso do outono representa uma etapa carregada de mudanças.

w

Após o calor do verão, é a vez de dar lugar às temperaturas amenas, com manhãs chuvosas e encobertas. Os dias tornam-se mais curtos e mais chuvosos, o nevoeiro espreita com mais intensidade e o frio também começa a ocupar o seu lugar. Por isso mesmo, existe uma série de alterações e ajustes que a natureza faz para dar lugar a mais um novo ciclo, sendo uma delas a fruta outonal!

Como é sabido, é nestas alturas, que devido à mudança da estação, o nosso corpo fica com as defesas mais em baixo, e por isso, mais sensível e suscetível apanhar constipações e gripes. Nem toda as pessoas sentem esse efeito, sendo uns são mais sensíveis do que outros, mas isso não é motivo para não aproveitar esta época. A fruta rica em vitaminas e nutrientes que cresce nesta altura tem um propósito: ajudar e preparar o nosso organismo para a fase invernal.

Vejamos algumas das frutas características do outono

Como se pode verificar, a oferta de frutos é grande e diversificada, desde o mais doce ao mais amargo, com as mais variadas texturas. Os frutos secos, por exemplo, são um grupo interessante, com um alto valor nutricional e energético, bons para saciar o apetite. A castanha é a rainha deste grupo, muito consumido nesta altura e até associada a festividades como o Magusto. Mas no geral, vejamos porque são esta frutas tão ricas e quais os principais benefícios.

Apesar de todas frustas contribuírem no seu geral para uma melhor saúde corporal e mental, é sabido que determinadas frutas têm ainda propriedades mais assertivas para certas situações. Como por exemplo a laranja, é conhecida pela sua riqueza em vitamina C que ajuda especialmente no combate a gripes e constipações. A maçã, rica em água e antioxidantes é ótima para quem deseja controlar o seu peso e manter a hidratação da pele.

Além disso, são algumas destas frutas que permitem fazer doces deliciosos que se podem guardar e consumir ao longo do ano. É o caso de doce de abóbora com nozes, doce e a marmelada, feita a partir dos marmelos.

Consumir fruta da própria época, para além das vantagens óbvias já assinaladas, pode também ser um modo de ajudar na economia interna do país, comprando por exemplo a produtores locais, em feiras e/ou em pequenos comércios. A probabilidade de esta fruta ser livre de substâncias químicas é ainda maior, pois não derivam de grandes produções industrializadas.

Lembre-se que ao comprar fruta fora de época, produzida em estufas ou originária de outros países, esta não vai ter as mesmas qualidades nutritivas, pois foram respetivamente, desenvolvidas num meio artificial e sujeitas a vários tipos de tratamentos para que aguentem o tempo de transporte.

Além disso, os transportes necessários, com refrigeração, implicam um gasto de combustível significativo elevado, com consequente libertação de CO2, que acaba por afetar de forma negativa os ecossistemas e contribui para o aquecimento global.

A produção de frutas e legumes em estufa tem ainda a vertente de gastar água em maiores quantidades do que se desenvolvessem de forma natural.

Em resumo, consumir fruta da época aporta consigo todas as vantagens: é melhor para a saúde, melhor para a economia e melhor para a natureza!

Para terminar, em modo de curiosidade, a entrada no equinócio outonal foi em tempos um momento de celebração pagã, em que se agradecia as colheitas aos deuses da natureza. Este ritual, designada por Mabon, de origem celta, é ainda hoje relembrado em muitos países onde existiam essas culturas. Além de representar um momento de equilíbrio, pois é quando o dia e a noite atingem a mesma duração; é também um momento quando a morte e renovação se encontram. Como quando as folhas das árvores escurecem, caem e se decompõem na terra, começando um novo ciclo. As frutas colhidas eram usadas nos banquetes de celebração, sendo a maçã com canela, e a sidra a bebida principal.

As frutas eram servidas numa cornucópia, semelhante à forma de um chifre e também ao útero, representando assim também, o renascer, a fertilidade, abundância e a fartura.

Com celebrações ou não, a fruta deve estar sempre presente. Cinco peças por dia é o aconselhável para manter uma alimentação saudável e equilibrada. E não se esqueça, dê sempre preferência àquela que é da época, e se for com bicho, ainda melhor!

Nuvem do Minho
  Partilhar este artigo