Editorial

A ganância acaba sempre mal

Jorge VER de Melo

Jorge VER de Melo

Consultor de Comunicação
Jorge VER de Melo

Jorge VER de Melo

jorge.melo@minhodigital.pt
Consultor de Comunicação

Estamos todos alarmados com os alegados crimes económicos atribuídos à Engenheira Isabel dos Santos, filha de Eduardo dos Santos (ex-Presidente da República de Angola).

De salientar, as coincidências dos momentos em que determinados negócios acontecem exatamente em Portugal, com exatamente certos Governos, certas pessoas, partidos e responsáveis do Banco de Portugal.

São certamente os gananciosos do costume, sempre implicados nos casos económicos mais graves que têm afetado a nossa economia.

Não sabemos se o dinheiro inicial era dela ou do Estado Angolano, a confirmarem-se as suas afirmações, apenas se limitou a aplicar aquilo que lhe foi posto à disposição, até porque anteriormente já tinha dado provas de competência na área da gestão financeira. A ver pelas verbas que qualificam a sua fortuna.

Já há alguns anos que vários acontecimentos e negócios deixavam rastos de dúvidas.

Todos conhecíamos a situação económica do povo angolano, não entendíamos como nesse país era possível alguém possuir tanto dinheiro e conseguir aplicá-lo com tanta facilidade quando os próprios portugueses que lá trabalhavam se viam aflitos para receber o ordenado no fim de cada mês.

Afirmavam que não havia dinheiro para cumprir os compromissos por estarem a passar grandes dificuldades financeiras.

Até acreditamos que o dinheiro seja mesmo fruto limpo dos negócios da Sra. Engenheira.

Mas todos sabemos que aquele país consegue ter uma população paupérrima quando possuem poços de petróleo e minas de diamantes.

Certamente neste momento, tudo isso pertence a Isabel dos Santos e a alguns conselheiros um pouco mais gananciosos que trataram de mexer com o bom ou mau nome da Senhora Engenheira.

Este Luanda Leaks não aparece por acaso. É o resultado de um consórcio composto por 34 órgãos de informação de vários países. Os seus jornalistas de investigação apoiam-se em 715 mil ficheiros adquiridos a uma organização de proteção de denunciantes em África.

Alguns desses jornalistas são portugueses, Investigam em colaboração com a ICIJ (Consórcio Internacional de Jornalismo de Investigação), são colaboradores da SIC e do Expresso.

https://www.jn.pt/mundo/guia-para-perceber-o-caso-luanda-leaks-e-o-universo-isabel-dos-santos-11729336.html

Então onde é que tudo isto implica com o nosso país?

Segundo a Agência Lusa, o eurodeputado alemão Sven Giegold denunciou o caso da Luanda Leaks como escandaloso e aconselha os responsáveis portugueses a acabarem com os vistos gold.

Lá estamos nós novamente metidos em alhadas que nos sujam a reputação.

São cerca de 200 empresas do Grupo de Isabel dos Santos sob investigação. Logo, existem certamente centenas ou milhares de portugueses a depender da capacidade de resistência dessas empresas. Embora espalhadas pelo mundo, têm provavelmente imensos trabalhadores com o futuro em perigo.

Será que a ganância não tem limites?

Será que ela acaba sempre mal?

Esperamos para ver!…

jorge.melo@minhodigital.pt

Partilhar

Partilhe este artigo

 Do autor...  Do mesmo autor...