Ministério da Educação impede início normal do ano Escolar em Monção

Agrupamento de Escolas de Monção

Na escola primária ensinaram-me logo na primeira classe a somar 1 + 1. Somemos, então!

1 – Uma professora da Escola Secundária de Monção, disse a todos os que a quiseram ouvir e espalhar a palavra que nunca ia desistir de ser diretora do Agrupamento de Escolas de Monção e que tinha muito dinheiro para gastar neste processo.

1 – Contra todas as expectativas, depois de três anos de eleições e de três eleições para diretor, todas ganhas sempre pelo mesmo candidato, Sérgio Gonçalves, o Ministério da Educação volta a impedir que o diretor eleito tome posse.

Agora basta somar: 1 + 1 = Corrupção ou compadrio no Ministério da Educação?

O Centralismo e o poder absoluto da capital está a bloquear o funcionamento das Escolas de Monção e os interesses políticos e económicos de meia dúzia de apoiantes da coligação governamental PSD/CDS estão a bloquear o interesse público de alunos, pais, professores e dos Monçanenses. O interesse público do funcionamento da escola devia ser a prioridade, mas os interesses partidários sobrepuseram-se e estão a deixar a decisão do rumo da escola para a próxima década, com todas as implicações negativas que daí virão para o funcionamento de toda a comunidade escolar.

Este é o momento de o Ministério da Educação e Ciência respeitar Monção. Porque pediu a Diretora da Direção Geral de Administração Educacional para o Conselho Geral das Escolas de Monção se pronunciar sobre a homologação da eleição se não queria respeitar a decisão local?

GOSTA DESTE CONTEÚDO?

Não homologar 3 vezes (ver anexo em formato pdf) a eleição do diretor é criar a convicção de desrespeitar os Monçaneses de forma descarada e irresponsável. Neste momento, o início do ano letivo em Monção está em risco.

Os cinco elementos da Comissão Administrativa Provisória não se entendem e apenas dois deles se mantêm em funcões: o seu Presidente Artur Vieira e o Vice-Presidente José Veríssimo. O Presidente da Câmara e o Vereador da Educação, Paulo Esteves, reuniram de emergência com o Delegado do Norte do Ministério da Educção, Otávio Mesquita e afirmaram que querem ver este impasse resolvido antes do início do ano letivo.

Neste momento nada está preparado para o início do ano lectivo, nem há distribuição definitiva do serviço dos professores, nem estão organizados os horários escolares, nem há transportes escolares, nem atividades de enriquecimento curricular!…

O caos foi lançado nas escolas de Monção pela Diretora Geral da Administração Escolar, Luísa Oliveira, e os prejudicados vão ser os do costume, os que não têm culpa de nada.

Para melhor se fazer uma avaliação dos antecedentes, anexam-se os seguintes documentos:

1 – Relatório da Comissão de Educação, Ciência e Cultura da Assembleia da República (AR) onde, no cabeçalho, poderá abrir um ficheiro que contém o teor integral de uma Petiçaõ enviada ao Parlamento.  

http://www.parlamento.pt/ActividadeParlamentar/Paginas/DetalhePeticao.aspx?BID=12627 

2 – Despacho de Suspenção da Eleição do Diretor do Agrupamento de Escolas.

 sdireccao15072914160.pdf

  Partilhar este artigo
Nuvem do Minho

Junte-se a nós todas as semanas