Momentos de Poesia

Mais uns momentos precisos de mexer com os nossos sentimentos.

Poema

“O Sentimento dum Ocidental”

Autor: Cesário Verde

 

Primeira quadra:

GOSTA DESTE CONTEÚDO?

 

Nas nossas ruas, ao anoitecer,

Há tal soturnidade, há tal melancolia,

Que as sombras, o bulício, o Tejo, a maresia

Despertam-me um desejo absurdo de sofrer.

Poesia

 

 

Glosa da primeira quadra

PUB

  

Nas nossas ruas ao entardecer

C’ o sol a esconder-se entre as colinas

Todos procuram seguir suas rotinas

Mas o cansaço já não os faz correr.

 

Já não há gás, mas mesmo à luz maior

Há tal soturnidade, há tal melancolia,

Que a gente se entristece e angustia

E até as verdes áleas perdem o verdor.

 

Mas na cidade baixa ainda há movimento

– Embora sem pregões como antes os havia –

Que as sombras, o bulício, o Tejo, a maresia

Sempre induzem no povo algum perdido alento.

 

Passando ao Carmo, miram-se essas ruínas

Que assistiram aos ecos d’uma revolução

Mas só resta uma imagem dessa recordação;

As varandas ornadas de boninas! 

 

 

  Partilhar este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Também pode gostar