Momentos de Poesia

Novo momento de poesia da autoria de José Verde Pardo, da Galiza.

Pedaço de azul celeste

 

Fica-te bem esse sorriso de domingo

Pintado de carmim sobre os teus lábios sinuosos

 

GOSTA DESTE CONTEÚDO?

Fica-te bem esse cabelo desbocado

Essas madeixas de cabelos às cores

Que como meandros silenciosos

Caiem sobre os teus ombros

Sedutores.

 

Ficam-te bem,

Esses olhos

Que tudo esquadrinham,

PUB

E que arrasam tudo o que veem e olham.

 

(Prepararem-se para estar quietos e não provocar

– Se se movem –

As suas iras e os seus desprezos.)

 

Eu sinto-me bem, observando-te.

Preparado para ver o voo majestoso de uma águia real,

Ou ouvir toda o tipo de insultos,

Quando algum humano,

Sem a tua autorização,

Te interrompe bruscamente o sono.

 

Gosto de ver um pedaço de azul celeste,

No meio de tanto pavor,

Vergonha e desenfreio.

 

De tanto voraz deserto,

A preto e branco.

 

© José Verde Pardo – 28 de Junho de 2024

– Traduzido por Ana Magalhães

  Partilhar este artigo

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *