Morro da Urca e o bondinho do Pão de Açúcar

A história do Pão de Açúcar é repleta de lendas, curiosidades e fatos interessantes. Além da origem do nome, a criação do bondinho e o Parque Bondinho Pão de Açúcar em si tem 111 anos de história.

Mas antes, vamos entender a dinâmica: o Parque Bondinho Pão de Açúcar é o nome dado ao espaço inteiro composto pela Praia Vermelha, Morro da Urca e Pão de Açúcar, interligados pelo bondinho, o teleférico.

Criado por Augusto Ferreira Ramos e um grupo de mais de 400 trabalhadores que atuavam como escaladores, o bondinho é na verdade o primeiro teleférico do Brasil e o terceiro do mundo!

Saiba mais sobre a história do bondinho e do Pão de Açúcar, antes de virar o Parque Bondinho Pão de Açúcar!

A criação do bondinho

As obras para a criação do bondinho começaram em 1910, pela Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar, e com um projeto inicial para construir 3 linhas, uma entre a Praia Vermelha e o Morro da Urca, outra do Morro da Urca ao Pão de Açúcar e a última também do Morro da Urca, indo até o Morro da Babilônia.

Para a construção, mais de 400 trabalhadores foram envolvidos, atuando como escaladores para levar os materiais até o alto do morro. Os cabos de aço subiram mais tarde, com a ajuda de um guincho e os primeiros “bondinhos” foram importados da Alemanha.

GOSTA DESTE CONTEÚDO?

Em 1912, o trecho entre a Praia Vermelha e o Morro da Urca foi inaugurado, e só em 1969 a Companhia do Pão de Açúcar foi autorizada a duplicar a linha. Depois dessas reformas, os bondinhos também foram trocados, passando para a capacidade de 75 passageiros.

A terceira parte do trajeto, que ligaria ao Morro da Babilônia, nunca chegou a ser feita, já a primeira e a segunda parte possuem 600 e 850 metros de extensão respectivamente, e estão ativas até hoje no passeio do Parque Bondinho Pão de Açúcar!

A origem do nome

Existem algumas histórias sobre a origem desse nome “Pão de Açúcar”. Algumas dizem que esse nome é por conta do formato que o açúcar fazia ao ser derramado em potes, formando pequenos cumes, como o morro.

Já a história mais conhecida diz respeito à produção de açúcar no Brasil, entre os séculos XVI e XVII. Nessa época, a cana de açúcar passava por um longo processo antes de ser enviada para a Europa. Esse processo terminava com os blocos de açúcar prontos para serem exportados, e que eram transportados em recipientes de barro.

Acontece que esses potes de barro onde ia o açúcar, tinham o formato muito parecido com um pão, e como estavam cheios de açúcar, foram chamados de “pão de açúcar”. Por outro lado, o morro do Rio de Janeiro também se parecia com esse recipiente, além da cidade ser o principal porto de onde partia o açúcar, rumo à Europa. Por isso, o nome Pão de Açúcar desde então.

Além disso, o nome popular “bondinho“, para se referir ao teleférico que faz o passeio entre os morros, foi dado por conta da similaridade com os bondes que circulavam como transporte no Rio de Janeiro na época, e é usado como parte do local desde então.

Algumas lendas sobre o Pão de Açúcar

Com uma história centenária, é possível imaginar quantas coisas já devem ter acontecido no Parque Bondinho Pão de Açúcar, não é mesmo? De nascimento de crianças à gravações de filmes e clipes. Contudo, algumas histórias são mais famosas do que outras, e muitas são conhecidas como “lendas do Pão de Açúcar“.

Veja uma das lendas mais famosas e curiosas, que eu aposto que você não sabia!

A caverna

Existe uma caverna na encosta do morro Pão de Açúcar que pode ser acedida pelo mar, indo de barco, ou mesmo a pé, se você se aventurar pelas rochas. Essa caverna foi formada por uma falha na rocha há pelo menos mil milhões de anos e, em 1930 morou por lá o português Eduardo de Almeida, que pescava por ali.

PUB

O guardião da pedra

Muitas pessoas acreditam ver um homem na pedra do morro do Pão de Açúcar, com 200 metros de altura, é preciso estar na Praia Vermelha para ver a tal figura. Chamado de “guardião da pedra”, algumas pessoas também acreditam que é São Pedro abraçando a pedra, isso porque a “cabeça” da figura, estaria usando um solidéu, peça que compõe a vestimenta de bispos.

O íbis

Outra lenda diz que, às 11h, é possível ver a forma de um pássaro na cavidade da pedra, conhecido como “Íbis do Pão de Açúcar“. Isto porque, na mitologia egípcia, Íbis é um pássaro sagrado, representado aos pés de um gigante deitado.

Como essa silhueta se forma do outro lado da montanha de onde se vê o sacerdote, algumas pessoas acreditam que a figura do “guardião da pedra” seria, na verdade, o deus egípcio Thoth, e a figura em sua cabeça seria o famoso capacete utilizado pelos deuses em suas representações.

Ao invés de estar “abraçando a pedra”, o deus egípcio estaria alimentando o pássaro Íbis que está do outro lado da pedra.

O gigante adormecido

Por fim, e talvez a lenda mais conhecida, está a figura do gigante adormecido, que já foi até tema de comercial de marcas internacionais.

Essa figura seria formada pelo relevo dos morros do Rio de Janeiro, se visto do mar. Assim, a Pedra da Gávea seria o queixo, o tronco seria o Maciço da Tijuca e o Pão de Açúcar formaria o pé, terminando a figura do gigante deitado.

Mais uma vez, a lenda também traz a mitologia egípcia como uma das versões, criando histórias de que os egípcios teriam vindo ao Rio há milhares de anos atrás e criado suas histórias mitológicas baseadas nessa figura do gigante adormecido.

Com certeza existem muitas lendas que são de antes mesmo da história do Pão de Açúcar que a gente conhece, com a criação do bondinho e formação desse ponto turístico tão famoso no mundo todo.

Algumas são apenas lendas, como mostramos aqui, com suposições e histórias criadas no imaginário popular, mas também existem muitos fatos interessantes sobre a criação do bondinho, que podem ser vistos no tour histórico do Parque Bondinho, por exemplo.

Você já conhecia essas lendas da história do Pão de Açúcar?

  Partilhar este artigo