Editorial

O Homem é o animal mais perigoso do planeta
Picture of Jorge VER de Melo

Jorge VER de Melo

Partilhar

A história comprova perfeitamente esta afirmação, mas a realidade atual confirma-o tacitamente.

Então quais serão as razões fundamentais para tal conclusão?

Vejamos:

  • Vaidade;
  • Uma simples ideia ou convicção;
  • Dinheiro;
  • Poder como status pessoal;
  • Ignorância;
  • Maldade;
  • Irresponsabilidade;
  • Estratégia política.

Poderíamos acrescentar muitas mais razões que se tornariam repetitivas porque existe sempre uma certa relação entre estes “itenes”.

No fundo, a vaidade será a razão básica para todas as agressões que o Ser Humano infringe a si próprio.

Se lerem com atenção a História Universal, vão verificar que todas as atitudes dos responsáveis pelas guerras, e pelos princípios políticos (convicções), estão repletos dos elementos que mencionamos anteriormente.

GOSTA DESTE CONTEÚDO?

Raríssimas vezes acontecem guerras por questões humanitárias, ou seja, para acrescentar algo de bom para a humanidade.

A generalidade das pessoas nascem sãs, capazes de tomar qualquer atitude em favor dos outros por simples altruísmo. Os outros Humanos, por razões relacionadas com a notoriedade (vaidade), vão-lhe tecendo uma enorme rede de elogios que o levam a sentir-se alguém superior e é essa postura que o precipita no perigo para a Humanidade.

Para conservar esse status, o Ser Humano é capaz de matar milhões de outros Seres Vivos, Humanos ou não.

Depois habitua-se ao dinheiro fácil, que lhe é confiado devido à importância entretanto adquirida. Com esse dinheiro que entendem como seu, dão largas à vaidade com a compra de casas e objetos de lazer que acentuam largamente as regalias recentemente adquiridas.

Outros, se não as conseguem a bem, retiram-nas de forma ilegal nem que para isso tenham que prejudicar e matar milhões de pessoas.

Talvez possamos entender melhor as atitudes dessas pessoas pela ignorância que as levou à falta de capacidade intelectual para se assumirem na sua atividade como pessoas respeitadoras dos outros e da natureza.

Assim caem na maldade e na irresponsabilidade as quais apelidam de estratégia política para o bem de todos.

Meus caros, estamos num mundo que passa por momentos tremendamente perigosos.

Começando na Rússia, Palestina e China, passando pelos Estados Unidos e Israel, pela Europa em geral, mas particularmente pelo nosso país. Sentimos uma falta medonha  de gente capaz de estabelecer alguma ordem neste planeta.

Tenhamos força para aguentar tanta fatalidade e esperança para acreditar num futuro governado por Seres Humanos mais iluminados…

Para que o Homem deixe de ser o animal mais perigoso do planeta.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mais
editoriais

Junte-se a nós todas as semanas