Editorial

O PORTUGUÊS NÃO RESISTE AO ATROPELO DAS LEIS!

Jorge VER de Melo

Jorge VER de Melo

Consultor de Comunicação
Jorge VER de Melo

Jorge VER de Melo

jorge.melo@minhodigital.pt
Consultor de Comunicação

É verdade, mais uma vez temos os nossos compatriotas a dar a volta às Leis que foram impostas para estabelecimento da ordem de prioridades na vacinação contra o COVID-19.

Lá apareceram as chicas e os chicos espertos a armar em desentendidos das regras para favorecerem amigos ou familiares nem que isso origine a morte de outras pessoas mais necessitadas neste momento.

Mas como tem sido bem divulgado, os exemplos veem sempre de cima, ou seja, de quem manda por cá.

Lá estão eles a copiar o que há de pior nas atitudes dos Governantes de outros países.

Podiam preocupar-se em aprender como é possível Governar com lisura e eficiência. É o caso de Angela Merkel, Chanceler alemã.

Ela colocou a Alemanha como um dos mais fortes e estáveis países do mundo. De tal forma que conseguiu angariar respeito e crédito internacional, não só para o seu país, mas também para toda a União Europeia.

Nascida em 1954 na Alemanha Federal, em Hamburgo, foi educada e formada intelectualmente na Alemanha Democrática, num sistema político comunista.

Depois da queda do muro de Berlim realizou-se a unificação dos dois países alemães e a hoje Chanceler aderiu ao partido de centro direita “União Democrata Cristã” entre 2000 e 2018.

Como foi possível, alguém que veio de um país comunista, se transformar na líder do mundo livre impondo regras fundamentais à União Europeia que a ascenderam à mulher mais poderosa do mundo.

A Pfizer-BioNTech, fabricante da vacina aplicada na Europa contra pandemia, tem atrasado as entregas alegando incapacidade para tão elevada produção. Então, ela e a sua equipe, para acabarem com o incumprimento ameaçam o fabricante de que em caso de necessidade, a UE proíbe a exportação dessas vacinas fabricadas na Europa.

Não satisfeita, já teve conversações para a compra da vacina Russa, Sputnik V, mas impõe a libertação imediata de Alexei Navalny, principal adversário político de Vladimir Putin.

Prepara-se também para comprar a vacina chinesa por verificar que na Sérvia, onde a utilizam, conseguem vacinar com mais brevidade do que o resto da Europa.

Estamos a falar de uma líder política cuja formação universitária não é Direito nem Economia como quase todos os nossos políticos, mas sim, em Física desde 1986 pela Academia de Ciências de Berlim.

Trata-se de um caso mais que evidente onde a educação aliada à experiência de vida a prepararam, (e bem), para a atividade política.

Já chegou a Portugal, acionada por ela, uma equipe de ajuda comandada por um Chefe de Estado-Maior/médico acompanhado de vinte e seis militares que integram oito médicos e dezoito enfermeiros com a respetiva logística para cuidados intensivos.

Passamos a vida a dizer mal dessa Senhora porque nos vai criticando, principalmente quando necessitamos de capital para o equilíbrio das finanças públicas.

Na verdade e na maioria das vezes, ela até tem razão, principalmente quando se refere à governação.

É com exemplos destes que os nossos políticos se devem preocupar e aprender:

  1. Dedicação. Todo o seu tempo dedicado à causa pública;
  2. Habilidade. Não são habilidades de manobras ditas politicamente corretas, mas sim no bom sentido patriótico;
  3. Competência. A competência é uma capacidade que se adquire através da aprendizagem e;
  4. Sinceridade. Com lisura, sem subterfúgios nem falsidades disfarçadas para encobrir outras atitudes impróprias.

E aí está a verdade! Foi o primeiro país a ajudar Portugal nesta pandemia, com um gesto humano, oportuno e de sinceridade.

Será que isto não é verdadeira política?

jorge.melo@minhodigital.pt

Partilhar

Partilhe este artigo

 Do autor...  Do mesmo autor...