Pais de alunos do Ensino Especial de Ponte de Lima indignados com DGEstE recorrem ao Secretário de Estado

Desenho de uma criança

Os pais dos alunos com Necessidades Educativas Especiais (NEE) de Ponte de Lima vão enviar esta quarta-feira, dia 4, uma carta para o novo secretário de Estado da Educação a solicitar esclarecimentos sobre o não deferimento ao pedido de atribuição de mais dois professores de ensino especial para o Agrupamento António Feijó.

Na semana passada, a Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE) informou o Agrupamento de que foi atribuído mais um professor por 11 horas, contrariando o pedido enviado pela Direção do Agrupamento, no qual era solicitada a atribuição de mais dois docentes, indo de encontro às necessidades existentes dos 69 alunos referenciados com NEE, de caráter permanente.

Duas associações de pais desse agrupamento e representantes dos alunos com NEE enviaram também um pedido de esclarecimento à DGEstE e, de acordo com a representante dos pais de alunos com NEE do Centro Educativo da Feitosa, Sofia Alferes, a resposta que receberam no dia 3 de Novembro é “escandalosa e insuficiente”, por limitar-se a justificar a atribuição de um professor a meio tempo para um enquadramento de rácios internacional.

Determinados a não desistir da luta, as associações e representantes dos pais de alunos NEE vão enviar esta quarta-feira uma carta ao recém-empossado secretário de Estado do Desenvolvimento Educativo e Administração Escolar, José Pereira Santos, a pedir que intervenha no processo e os esclareça sobre a decisão “mal sustentada” da DGEstE.

Na carta, vem ainda referido que a representante dos pais do Centro Educativo da Feitosa, Sofia Alferes, irá fazer um protesto em frente à DGEstE no Porto, durante a próxima semana “caso esta situação não seja resolvida, definitivamente.” 

GOSTA DESTE CONTEÚDO?

  Partilhar este artigo
Nuvem do Minho
jornalminhodigital@gmail.com
  Partilhar este artigo
📌 Mais do Lima

Junte-se a nós todas as semanas