Paredes de Coura: Cultura e Educação são prioridade em orçamento de 11 milhões

Centro da Vila

As grandes opções do Plano de Actividades e Orçamento do município de Paredes de Coura para o próximo ano rondam os 11,6 milhões de euros. A Educação e a Cultura continuam a marcar as prioridades do executivo courense que não abre mão, também, do apoio à iniciativa empresarial e à captação de investimento.
O Plano de Actividades e Orçamento para 2016 foi aprovado pela maioria socialista da Câmara courense, com a abstenção dos dois vereadores social-democratas. À semelhança, aliás, do que já tinha acontecido no ano passado e também em 2013, ou seja desde que Vítor Paulo Pereira assumiu a presidência da autarquia sempre o PSD se absteve. E este é um orçamento assumidamente de continuidade, reflectindo “um planeamento responsável mas flexível na senda estratégia iniciada em 2014”.
Esta continuidade traduz-se, por exemplo, no elencar das grandes prioridades, tendo o executivo courense assumido como eixos de intervenção prioritária a Educação, a Cultura, a Acção Social e o Emprego. Objectivo: melhorar a qualidade de vida da população courense “em todos os domínios considerados essenciais”.
O apoio aos agentes turísticos locais, a promoção, dinamização e divulgação dos produtos turísticos locais é outra das áreas em que a Câmara de Paredes de Coura pretende apostar, a par do apoio à iniciativa empresarial e à captação de investimento, atraindo novas empresas para o concelho e, consequentemente, criando novos postos de trabalho. Uma estratégia que passa também pela melhoria dos acessos e beneficiação das infraestruturas existentes.
O Plano de Actividades e Orçamento para 2016 pretende, também, manter a aposta nos desportos de natureza, preservando a paisagem e valorizando o ambiente. Por outro lado, aponta para a implementação de medidas de eficiência energética e de aproveitamento de energias renováveis nos equipamentos municipais. E por falar em equipamentos municipais, está igualmente prevista a realização de algumas intervenções ao nível da reabilitação e requalificação de alguns edifícios municipais, sobressaindo, entre outros, a central de camionagem e o Centro de Educação e Interpretação Ambiental.
Em termos de valores, este é um orçamento que apresenta uma redução considerável relativamente a anos anteriores. Menos 1,3 milhões de euros quando comparado ao orçamento de 2015, sensivelmente a mesma diferença relativamente a 2014, o primeiro sob a batuta de Vítor Paulo Pereira. Muito, muito longe dos orçamentos de 20 milhões de euros que marcaram o final de mandato de Pereira Júnior à frente da Câmara de Paredes de Coura.

  Partilhar este artigo
Nuvem do Minho
jornalminhodigital@gmail.com
  Partilhar este artigo
📌 Mais do Coura

Junte-se a nós todas as semanas