Protocolo dos Bombeiros com INEM traz nova ambulância para Arcos de Valdevez

Ponte de Lima

No passado dia 27 de agosto, Germano Amorim, em representação dos Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez, deslocou-se a Lisboa para celebrar mais um protocolo com o presidente do INEM, Luís Meira, para adquirir uma nova ambulância capaz de prestar este serviço à comunidade arcuense.

O protocolo é celebrado pelo prazo de oito anos, sendo que a associação receberá valor de cinquenta mil euros que reverterão directamente para ajudar a adquirir uma nova viatura que obedece ao cumprimento de várias especialidades técnicas exigidas ao abrigo do referido documento. A quantia não será suficiente para adquirir na totalidade a ambulância mas será decisivamente fundamental.

“Estamos a falar de despesas de investimento que não poderemos nunca recusar. Os Bombeiros existem exclusivamente para ajudar a comunidade e, as questões financeiras, apesar de fundamentais, não são as que orientam a nossa atuação, ou seja, os nossos objetivos são dar cumprimento ao que deve fazer uma instituição com utilidade pública reconhecida e que, por isso, não visa o lucro mas sim outro tipo de escopo humanitário e solidário. Essas são as nossas principais missões! Não apregoamos uma coisa e fazemos outra. Tentamos ser coerentes na nossa forma de estar e viver ajudando inclusive quem menos pode e outras instituições que menos possuem. Nessa senda, esta nova ambulância permitirá dar continuidade ao compromisso que assumimos com a comunidade inserida numa localidade que perdeu o seu serviço de atendimento permanente, vulgarmente designadas por urgências. Temos esse compromisso com a sociedade e não falharemos no auxílio a quem necessita. Os Bombeiros dispõem à sociedade seis viaturas capazes de prestar serviço de emergência médica. Muita gente se esquece desse serviço e apenas sabem exigir. Damos formação a nossas expensas, de forma contínua, a vários bombeiros, de forma a poderem desempenhar o melhor possível as suas indispensáveis funções. Nós salvamos vidas e socorremos os verdadeiros necessitados. É para isso que cá andamos e temos consciência que essa missão é reconhecida por uma enormíssima maioria.” termina o advogado, presidente dos Bombeiros de Arcos de Valdevez.

Por sua vez, o comandante, Filipe Guimarães, que acompanhou o presidente nesta deslocação, refere que “este é um equipamento fundamental para continuar a prestar a emergência médica com toda a qualidade devida aos cidadãos. No presente ano de 2018 já prestamos à comunidade mais de 2000 serviços de INEM. São seis as viaturas afetas ao INEM. A formação é contínua e dispomos de vários tripulantes de ambulâncias de socorro devidamente preparados para melhor atender os necessitados. Estamos cá para ajudar quem necessita e essa é a nossa razão de existência .” – refere ainda o Comandante que as recentes chamadasde atenção face à escassez de meios no combate a incêndios industriais “são a triste realidade e poderão constituir um grave problema para todos nós, já que não dispomos efetivamente dos meios necessários para o combate, comprometendo assim a prevenção de segurança dos cidadãos. Outro dos problemas mais recentes está relacionado com o acréscimo anormal de turistas na região, nomeadamente a usarem as ecovias, já que em caso de emergência muitas vezes não se consegue apurar o local dos mesmos o que também compromete o socorro. É preciso repensar o esquema de identificação dos locais e reforço dos meios “, acrescenta.

O presidente, Germano Amorim, comunicou ainda que brevemente darão início às obras de recuperação da zona do quartel já existente, bem como promete novidades na prestação de cuidados de saúde que “resultarão num acréscimo de qualidade de vida para os arcuenses em concreto e comunidade em geral. Não nos conformamos com o facto de não termos um serviço de atendimento permanente em Arcos de Valdevez! Precisamos de criar alternativas sérias e credíveis capazes de darem resposta cabal às necessidades entre o período da meia noite até às seis da manhã. Devemos mobilizar a sociedade para retomar a ideia de que precisamos novamente do serviço de urgências na nossa terra! Não podemos aceitar que seja tudo concentrado em Ponte de Lima que não tem capacidade de resposta suficiente para todas as solicitações. “

Presentes estiveram ainda a secretária de estado da saúde, Rosa Valente de Matos e o presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Jaime Marta Soares, com quem tiveram oportunidade de trocar várias impressões sobre o atual estado dos bombeiros portugueses.

No tags for this post.
  Partilhar este artigo
Nuvem do Minho
jornalminhodigital@gmail.com
  Partilhar este artigo
📌 Mais dos Arcos

Amorzito - a maior comunidade de encontros, relacionamento e namoro na língua portuguesa