RESOLUÇÕES PARA O NOVO ANO! JÁ PENSOU NISSO?

 

Liliana Santos Gonçalves

Jornalista

Com o virar de um novo ano há sempre muitos portugueses que criam um lista, física ou mental, de algumas resoluções que gostariam de ver atingidas em 2016. Na maioria dos casos, e segundo um apuramento de dados recente, os objetivos da maioria das pessoas são: deixar de fumar, emagrecer e fazer  mais exercício físico. No entanto, eis que se levanta uma questão.

E aquelas coisas que realmente nos dão gozo? Que por falta de tempo, por vezes, são deixadas para trás ou relegadas para segundo plano? Não deveriam ser essas as principais resoluções para cada um de nós num ano que agora começa?

Uma vez li, num artigo multimédia, um psicólogo que aconselhava cada pessoa a fazer uma lista das 20 atividades que mais a satisfaziam. Anotadas de forma crescente, cada item ia sendo preenchido com as coisas que cada um mais gostava de realizar. Depois de completas as vinte opções, o psicólogo pedia ao participante que lesse novamente a lista que tinha escrito. A seguir, pedia que o leitor se tentasse lembrar de quando havia sido a última vez que tinha realizado algumas daquelas tarefas. Após um momento de reflexão por parte do participante, o autor do exercício questionava o leitor se já não fazia algo que amava há tanto tempo, porquê não tentar investir mais no novo ano em algo que realmente o faz feliz? No final do exercício, o autor concluía que algumas das vinte opções anotadas são, sem dúvida, as resoluções de cada um para um ano novo.  

GOSTA DESTE CONTEÚDO?

Portanto, coisas simples como andar de bicicleta, ler uma boa obra, ver séries, documentários, filmes, dar mais passeios com o seu cão, estar com os amigos, ouvir mais vezes aquela música, redescobrir terras há muito visitadas são seguramente para muitos de nós, situações que nos tornam mais felizes, pessoas de bem com a vida e realizadas. Muitas vezes, por falta de tempo ou até vontade, esquecemos-mos que são as coisas mais pequenas as de maior importância!

geral@minhodigital.pt
  Partilhar este artigo

Também pode gostar