Se os mortos não votam!…

Se os mortos não votam !…

Se os mortos não votam (teoricamente) por que razão em Chafé, colocaram o placard eleitoral em frente à entrada do cemitério? Erro de casting ou ignorância?

Isto passa-se na airosa freguesia de Chafé, uma terra linda à beira mar plantada.

O placard à disposição para afixação dos cartazes dos partidos em campanha para as Eleições Legislativas do próximo dia 4 de Outubro, encontra-se posicionado em frente à entrada principal do cemitério de Chafé.

Por tal intenção das entidades competentes, o placard fica praticamente invisível ao cidadão comum, que até parece ser de maneira propositada, no sentido de haver ainda mais abstenção.

A informação encontra-se, portanto, no Caminho de São Sebastião, um caminho a servir de  acesso a meia dúzia de moradias, com metade delas encerradas devido à emigração e outros casos.  No Edital para a afixação da propaganda indica que o painel encontra-se no “entroncamento da EM 544/1 com a 544/2. Algo que o mais comum dos mortais desconhece!

GOSTA DESTE CONTEÚDO?

Por outro lado, o local da secção de voto não indica o endereço da sua própria toponímia: Escola da Igreja – Caminho da Escola n° ( …)!

Dito isto, é de aclamar aos céus tal sentido em favor do obscurantismo, um sistema que tende perdurar em Chafé!…

Além disso, existem editais afixados na montra ao lado da Junta que mal se leem devido à luz do dia espelhar na vidraça. Até no dia anterior ao 17 setembro, não existia afixado o edital com a devida informação ao público relativo à data e hora prevista para entrega das credenciais, bem como  listagem dos membros de mesas.

No entanto, é recomendado que o abaixo estipulado por lei, seja respeitado, facto que nas precedentes eleições, isso não foi considerado:

“Os membros das mesas eleitorais devem assegurar a correta disposição, na sala, da mesa de trabalho e das câmaras de voto por forma a que, por um lado, seja rigorosamente preservado o segredo de voto – ficando as câmaras colocadas de modo a que quer os membros da mesa quer os delegados não possam descortinar o sentido de voto dos eleitores – e se evite, por outro lado, que os eleitores fiquem fora do ângulo de visão da mesa e delegados (v. Acórdão do Tribunal Constitucional n.º 13/2002, DR II Série, nº. 25, de 30 de janeiro de 2002).

Votar é um dever cívico e moral! E, a melhor maneira de incentivar é informar com objectividade e às claras, não é verdade ?!!!!

Foi preciso nós alertarmos para tirarem os contentores do lixo mesmo em frente ao Cemitério! Agora, nos seus lugares, surge propaganda política que – esperamos – não perdure para além do acto eleitoral …

  Partilhar este artigo
Nuvem do Minho
jornalminhodigital@gmail.com
  Partilhar este artigo
📌 Mais de Viana

Junte-se a nós todas as semanas