Sentimentos da valenciana Rosário Pereira é lançado no Porto

Escritora Rosário Pereira

Administrativa a tempo inteiro e fotógrafa a part-time, Rosário Pereira encontra, ainda, tempo para fazer o que mais gosta: escrever poesia. ‘Sentimentos’ é o seu mais recente livro que promete ser uma revelação da jovem valenciana.

Natural da freguesia de Ganfei, em Valença, Rosário Pereira cedo desenvolveu o gosto pela escrita. Desde tenra começou a colecionar poemas que ia escrevendo em determinadas fases da sua vida. A obra Sentimentos é um retrato da autora que revela os seus pensamentos, medos, alegrias, incertezas, e desabafos.

No passado dia 13 de Junho, a cidade do Porto foi escolhida para receber o lançamento do livro da autoria de Rosário Pereira que contou com o apoio e presença de vários amigos.  

O Minho Digital esteve à conversa com a escritora para conhecer um pouco melhor a sua vida e a sua 1ª obra publicada.

Minho Digital (MD): Como é que lhe surge a ideia de escrever um livro?

Rosário Pereira (RP): Desde cedo senti necessidade de escrever. Quando era miúda recordo-me de me fechar no quarto e escrever versos. Eu colecionava poesia. Mais tarde, aparece a necessidade de desabafar e pensei em registar esses desabafos no papel . Foi aí que me lembrei de escrever um livro.

GOSTA DESTE CONTEÚDO?

MD: Quando começou propriamente a escrever o livro?

RP: Isto já vem de há uns anos para cá. Os primeiros poemas deste livro são de quando eu tinha os meus 18 anos. Fui escrevendo ao longo do tempo e o último poema do livro foi escrito teria eu uns 29 anos de idade. Tenho ainda neste livro alguns poemas mais recentes, mas em menor número. É uma espécie de compilação da minha poesia.

MD: Onde foi buscar a inspiração ao longo de todos estes anos para escrever os poemas?

RP: O que passei para o livro são momentos pessoais, alguns devaneios, outros pensamentos. Mas a maioria dos versos são situações vividas por mim, como sofrimentos, alegrias, amores e  desamores. É, em parte, uma biografia em poesia.

MD: Porquê a opção por este género literário?

RP: Sinto a poesia como uma forma de escrita livre. Não tenho de seguir uma sequência lógica e como escrevo desabafos não tenho de pensar para o fazer. Escrevo o que me vai na alma em cada momento. Para mim é a liberdade da escrita.

MD: Contou com o apoio de alguém para publicar o seu livro?

RP: Sim. Durante todo este tempo contei com o apoio fundamental da minha melhor amiga. Ela lia os meus poemas e ia sempre dizendo, em modo de brincadeira, que eu os deveria publicar. Chegou o momento em que achei que era a altura certa para o fazer e comecei a contatar editoras. A Chiado Editora foi a que se prontificou a ajudar.

MD: Para o lançamento do livro optou pela cidade do Porto. Qual o motivo dessa opção?

RP: Recentemente comecei a trabalhar em part-time como fotógrafa no Porto. Já fiz concertos, eventos de moda e aí conheci muito gente e criei amizades. Comecei a passar muitos fins-de-semana no Porto e passei a gostar muito da cidade e das pessoas de lá. Para mim fazia todo o sentido que o lançamento do meu livro fosse no Porto. Senti um apoio enorme lá, presenças de pessoas como nunca o tinha sentido cá. Foi esse apoio que nunca senti aqui em Valença.

MD: Lançou um vídeo promocional para a sessão de lançamento da sua obra ‘Sentimentos’. Foi ideia sua ou teve algum apoio?

RP: Foi o Helder, que é um grande amigo meu, quem propôs fazer um vídeo promocional para a sessão de lançamento. Achei muito interessante a ideia e fomos gravar para a praia e outros cenários onde normalmente costumo encontrar inspiração para escrever. Eu escolhi o poema que declamo no vídeo e o restante, desde a gravação à montagem e edição do vídeo foi tudo trabalhado pelo Helder.  

MD: A que tipo de público se direciona o seu livro?

RP: A todas as pessoas que gostem de poesia. O meu filho tem quinze anos e conhece os meus poemas. Claro que é uma leitura mais apropriada para adultos mas é um livro que pode ser lido por todos. Este livro é, sobretudo, para aqueles que perderam a esperança, que não acreditam que ainda podem acontecer  coisas boas, que pensam que as portas se fecharam por completo. Quero que este livro seja um incentivo para que as pessoas voltem a acreditar que ainda há portas que se podem abrir. Basta querer.

MD: Já está à venda a sua obra ‘Sentimentos’?

RP: O livro vai estar disponível, em breve, nalgumas livrarias. Neste momento, as pessoas que o queiram comprar podem encomendá-lo diretamente do site da Chiado Editora ou mesmo através de mim.

MD: O que espera alcançar pessoal e profissionalmente com a publicação do seu 1º livro?

RP: A nível pessoal é um fechar de um ciclo, de um passado. O livro é um virar de página de um passado marcado pela perda de pessoas importantes na minha vida. A partir de agora quero que seja diferente.  A publicação do livro significa uma mudança para mim. Em relação à venda do livro espero que as pessoas comprem muitos exemplares. Não penso muito nisso, mas gostava que o público o lesse e me desse um feedback positivo, como tenho recebido até agora.

MD: Num futuro, pretende lançar mais algum livro?

RP: Certamente. Já tenho pequenos contos escritos e o projeto já está em andamento.  

Sentimentos, obra da ganfeiense Rosário Pereira pode ser adquirida pelo valor de 11 €. Para breve está programada a apresentação do livro em Valença do Minho, que conta com o apoio da Câmara Municipal.  O vídeo promocional da autora pode ver-se aqui https://www.youtube.com/watch?v=03yzPy-IJTU&feature=youtu.be

 

 

 

 

  Partilhar este artigo
Nuvem do Minho
geral@minhodigital.pt
  Partilhar este artigo

Junte-se a nós todas as semanas