Um Canto de Parabéns à Irís Inclusiva

Logotipo da Iris

Foi num ambiente de festa e convívio que a associação Irís comemorou no passado sábado o seu 6º aniversário. O palco escolhido foi a Nossa Senhora das Neves, onde após uma caminhada se organizou um piquenique. Antes, os participantes tiveram a oportunidade de usufruir numa unidade hoteleira em Dem do contacto com os animais, mais concretamente com os cavalos. Cerca de 25 sócios e amigos da Irís puderam disfrutar da beleza da zona e de momentos de partilha.

 

O que é a Irís?

A Irís é uma associação direccionada para o apoio e aprendizagem por parte de pessoas portadoras de deficiência visual. No entanto, verifica-se que entre os seus sócios, cerca de 150,  a maioria são normovisuais e tal acontece porque a pretensão é  promover «a integração das pessoas com deficiência visual nas dinâmicas das suas próprias comunidades, as atividades que promovemos são sempre abertas ao público em geral, territorialmente descentralizadas e, tanto quanto possível, diversificadas (desportivas, culturais, recreativas, ambientais», salienta Isabel Barciela, membro da direcção. Reforçando, ainda, que « uma coisa são os clientes e outra os sócios. A maioria dos sócios não são clientes e também estes últimos só se associam se assim o desejarem».

GOSTA DESTE CONTEÚDO?

Como missão está bem explicito o pretendido: a Irís promove a «inclusão social e comunitária das pessoas cegas e com baixa visão, através de um conjunto de serviços, projectos e intervenções centrados no desenvolvimento da autonomia e na participação plena em todos os domínios de vida».

Desde o ano passado que esta associação tem em funcionamento uma resposta social de apoio em regime ambulatório, de âmbito distrital, que pretende ir ao encontro das reais necessidades das pessoas nos seus contextos de vida, trabalhando em articulação com os recursos da comunidade. Assim, os serviços oferecidos passam por apoio/acompanhamento ao nível social e psicológico; actividades na área da orientação e mobilidade; apoio na aprendizagem da grafia Braille e na utilização das tecnologias de informação e comunicação e de outros recursos específicos; actividades ocupacionais e de vida diária, bem como de animação sociocultural.

Infelizmente, nos dias de hoje ainda existe alguma indiferença a certos grupos da sociedade, como seja os portadores de deficiência visual  e a sua inclusão na vida activa. Deste modo, a Irís defende «uma sociedade onde as pessoas com deficiência visual sejam cidadãos de pleno direito, com acesso a todas as oportunidades em igualdade de circunstâncias com os demais, e acredita que só com o contributo de todos é possível caminhar no sentido da efectiva inclusão».

Parabéns Irís!

 

  Partilhar este artigo
Nuvem do Minho
jornalminhodigital@gmail.com
  Partilhar este artigo
📌 Mais de Viana

Junte-se a nós todas as semanas