Editorial

Afinal para que servem os partidos políticos?

Jorge VER de Melo

Jorge VER de Melo

Consultor de Comunicação
Jorge VER de Melo

Jorge VER de Melo

jorge.melo@minhodigital.pt
Consultor de Comunicação

Devido às atitudes pouco convencionais dos elementos de alguns partidos políticos portugueses, acabamos  por ser vítimas e não beneficiários da sua existência.

Conseguem impulsionar a menor simpatia dos cidad√£os, o que est√° muito errado.

Embora a maioria dos eleitores n√£o se preocupem com isso, as fun√ß√Ķes de cada partido s√£o fundamentais para a nossa democracia.

Estamos a divagar sobre este tema para tentar despertar nos cidad√£os a import√Ęncia, ou n√£o, da exist√™ncia de alguns dos nossos partidos.

Atropelos ou atrasos nas atividades p√ļblicas mancham a lisura da imagem dos nossos pol√≠ticos pois todos nos apercebemos de que algo est√° acontecendo para que certos factos n√£o sejam resolvidos ou fiquem congelados aguardando melhores oportunidades que nunca surgir√£o.

Outros s√£o resolvidos com solu√ß√Ķes surpreendentemente vertiginosas.

Todas estas irregularidades v√£o sendo registadas pelos nossos eleitores e depois surgem as surpresas dos resultados eleitorais. √Č para isso que existe a Democracia.

w

Assim, a Lei Org√Ęnica n¬ļ 2/2003 regulariza as atividades dos partidos pol√≠ticos portugueses com os seguintes fins:

a)       Contribuir para o esclarecimento plural e para o exercício das liberdades e direitos políticos dos cidadãos;

b)      Estudar e debater os problemas da vida politica, económica, social e cultural, a nível nacional e internacional;

c)       Apresentar programas políticos e preparar programas eleitorais de governo e de administração;

d)      Apresentar candidaturas para os órgãos electivos de representação democrática;

e)¬†¬†¬†¬†¬† Fazer a critica, designadamente de oposi√ß√£o, √† atividade dos √≥rg√£os do Estado, das Regi√Ķes Aut√≥nomas, das autarquias locais e das organiza√ß√Ķes internacionais de que Portugal seja parte;

f)¬†¬†¬†¬†¬†¬†¬† Participar no esclarecimento das quest√Ķes submetidas a referendo nacional, regional ou local;

g)¬†¬†¬†¬†¬†¬† Promover a forma√ß√£o e a prepara√ß√£o politica de cidad√£os para uma participa√ß√£o directa e activa na vida p√ļblica democr√°tica;

h)¬†¬†¬†¬†¬† Em geral, contribuir para a promo√ß√£o dos direitos e liberdades fundamentais e o desenvolvimento das institui√ß√Ķes democr√°ticas.

w

Agora vamos conferir se esses fins est√£o a ser cumpridos:

a)       Será que este item está a ser devidamente cumprido?

b)      Estudar e debater os problemas da vida politica, quase todos o fazem,  mas quanto aos restantes factores os resultados são péssimos. Veja-se o défice externo e o nível social dos portugueses relativamente aos restantes cidadãos da União Europeia.

c)¬†¬†¬†¬†¬†¬† Nas √ļltimas elei√ß√Ķes houve quem n√£o apresentasse programa politico, apenas programa eleitoral.

d)      Lá candidatos não faltaram, mas quanto ao facto de eles serem órgãos electivos é que nem todos cumpriram.

e)      Fazer criticas, quase todos fazem, mas apresentar alternativas é que poucos conseguem. Será por falta de capacidade criativa ou conhecimento?

f)        Claro que nem todos participam, alguns nem lá aparecem. Basta verificar a falta de presenças no Parlamento.

g)¬†¬†¬†¬†¬†¬† Quanto √† forma√ß√£o e prepara√ß√£o pol√≠tica de cidad√£os para uma participa√ß√£o directa e activa na vida p√ļblica democr√°tica n√£o parece estar a ser cumprida. Veja-se a generalidade dos pol√≠ticos que temos e os resultados por eles obtidos. Pobres portugueses!…

h)¬†¬†¬†¬†¬† Esta √ļltima al√≠nea l√° vai sendo cumprida da melhor forma que sabem.

w

Ser√° mesmo da melhor forma que sabem?

√Č a Democracia que vamos tendo…

Antes esta que nenhuma!

jorge.melo@minhodigital.pt
jorge_melo.jpg

Partilhar

Partilhe este artigo

 Do autor...  Do mesmo autor...