Editorial

Há horas assim!…
Picture of Arlinda Rego Magalhães

Arlinda Rego Magalhães

Partilhar

Momentos de poesia…

Mãe, minha mãe.

 

Mãe eu recordo o teu olhar,

que me embala em cada dia

Mãe, eu só te quero amar!

GOSTA DESTE CONTEÚDO?

Sentir a mesma alegria!

 

Mãe, a tua voz a rezar,

era um lamento que ouvia.

Mãe a tua voz a cantar,

a mais perfeita harmonia.

 

Mãe, minha mãe eu vou tentar,

viver, como tu dizias.

Eu já não posso esperar,

o teu beijo ao fim do dia.

 

Minha mãe, onde vais estar,

nas horas más de agonia?

No teu colo eu quero ficar,

toda a noite, todo o dia.

 

Mãe perdão, estou a chorar,

por mim por ti, eu sabia!

Ensina- me a caminhar,

és minha luz, o meu guia!

Poesia

 

 

“Havemos de ir a Viana.

Ó meu amor, algum dia.”

 

É tudo uma fantasia.

um momento de magia.

Pura e estridente alegria.

são as festas D’Agonia.

 

Já lá veem os Zés P’reiras,

com seus braços, bronzeados.

Tocam de várias maneiras,

com os bombos afinados.

 

Concertinas tão amadas, vermelhas, pretas douradas.

Raparigas ensaiadas,

desfilam aprimoradas.

 

Elas descem a Avenida

A cantar e de chinelas

Vestidas de cor garrida

Todos acenam p’ra elas

 

Ruiva, loira ou morena,

trajam todas a rigor.

Que ninguém fique com pena,

é tudo p’ros seus amores.

 

Verde tinto, verde branco,

sendo verde é do melhor.

Nas tascas ou nos recintos

bebem bem, está muito calor.

 

É o cortejo, é a procissão,

vai a Nossa Senhora ao mar.

Ao mar alto é, devoção,

e a Senhora vai a chorar.

 

Chora o pobre, chora o rico,

por ver tamanha devoção.

Do pescador ouve o grito,

num momento de aflição.

 

Senhora, minha Senhora

para todos tão bendita.

D’agonia protectora,

naquela hora desdita.

 

Obrigada, obrigada,

Nossa Senhora que chora.

Por Francisco ” Apressada”.

Pr’a nos salvar sem demora.

Poesia

 

 

Minha liberdade!

 

Hoje, eu não vou pedir para ter sorte,

Porque a sorte pedida é mais cara.

Hoje eu vou desejar ser sempre forte,

Porque a sorte de graça é coisa rara.

 

Hoje é só o primeiro dia de Verão,

e o último dia da Primavera.

Serei hoje a dona do meu coração,

iniciarei uma nova era.

 

Sem choro e sem arrependimento,

sem qualquer mágoa nem dor de alma.

Sinto cumprir o meu entendimento.

 

Ser livre, tão livre de pensamento.

Sonhar, amar e nunca mais ter calma.

Na vida não perder nem um momento.

1 comentário

  1. Arlinda Mendes Magalhães, é uma poetisa nata além de excelente FILHA, ESPOSA, MÃE e NORA…Também uma excelente PROFESSORA, COLEGA e AMIGA!!!
    OBRIGADA pelos momentos BONS e de CORAGEM que me ofereces ….

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mais
editoriais

Também pode gostar

Junte-se a nós todas as semanas