Editorial

As Arengas Nacionais
Picture of Arlinda Rego Magalhães

Arlinda Rego Magalhães

Partilhar

É isso mesmo meus amigos, fui ao dicionário, descobrir outro significado para discurso.

Lembrei-me que, se lhe chamasse outro nome, poderia tolerar mais meia dúzia de palavras, frases, parágrafos, enfim textos mais ou menos aborrecidos ou caricatos.

Arenga pode significar;

Discurso público.

Discurso enfadonho.

Discussão acalorada.

GOSTA DESTE CONTEÚDO?

Senti-me compreendida, nestas definições, ou melhor nestes significados.

É que feliz ou infelizmente tenho ouvido e assistido a algumas arengas / discursos públicos, de muito pouca qualidade. Sem pragmatismo, sem inovação e sobretudo com pouca seriedade.

Outras arengas/ discursos enfadonhos, utilizam frases e expressões gastas, pela repetição e má utilização de alguns significados ou comparações. Outros até, são autênticos devaneios de adolescentes mal informados.

Enfim, finalmente temos assistido a outras arengas / discussões acaloradas, entre candidatos a políticos, que unicamente lutam pelo maior número de grandes planos, executados pelos camera men ou camera girl.

É todo um processo de revelação, de um perfil físico e emocional que transmita confiança e legitimidade.

E assim de arenga em arenga, vamos assistindo à morte prematura de alguns destes candidatos a políticos…

Diz o povo e com razão;  “quem muito fala pouco acerta”.

Se o ditado é verdadeiro, disso não temos a menor dúvida.

Até porque todo aquele que fala, só para se fazer ouvir, não costuma ter grande audiência. No entanto, também temos o caso daqueles que tendem, a justificar tudo a todos. Dão demasiados exemplos e explicações. Estão sempre em cima do acontecimento e a maior parte das vezes, revelam falta de conhecimento e precipitação nas respostas.

Depois “the last, but not the least”, ainda devemos suportar simpaticamente, as arengas profissionais dos profissionais da comunicação.

E verdade seja dita, às vezes com respostas curtas de sim, ou não, elaboram autênticas teses e dissertações sobre, o como, e o porquê, de determinada expressão.

Parece um jogo de adivinhação, das pausas, das respirações e  até das tosses irritativas.

Em suma, se estiverem de acordo, eu proponho humildemente o seguinte:

Perguntas curtas, sem afirmações subjectivas incluídas,  e respostas verdadeiras e fundamentadas.

Não interromper o convidado, até este acabar de explicar o seu ponto de vista.

Não inferir, não decidir e sobretudo não fazer da entrevista, que se quer séria, um espectáculo de arengas.

Sejamos sérios nas questões, se pretendemos respostas verdadeiras.

E assim nos ficamos,  pela eventual arenga deste dia, tenha ela o significado que tiver.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mais
editoriais

Também pode gostar

Junte-se a nós todas as semanas